Link para página

Este site utiliza cookies que facilitam a navegação ou o registro e a captura de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso site Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

AURA MIGUEL DISTINGUIDA COM PRÉMIO MARIA BARROSO

09 out, 2020

A cidade beirã de Castelo Branco vai receber, no próximo dia 18 de Outubro, a edição 2020 do Prémio Maria Barroso - Jornalismo ao Serviço da Paz e Desenvolvimento.

Aura Miguel, um conhecido e reconhecido jornalista da Rádio Renascença, especialista em assuntos religiosos e relacionados com a Santa Sé, será laureada 2020. Instituído em 2017, e com o apoio da Fundação Pro Dignitate, esta distinção é direcionada para agentes ativos, onde se destaca o percurso profissional, pautado pela defesa da paz e do desenvolvimento social.        

‘Esta é a essência de Maria Barroso que dá nome ao Prémio. O legado de Maria Barroso exalta o seu enorme envolvimento com as questões sociais e com a promoção pelo respeito da vida humana. Maria Barroso era uma pedagoga experiente e profundamente conhecedora das suas causas onde fazia questão de marcar a diferença’, salienta Avelina Ferraz, curadora e responsável pela produção do Prémio Maria Barroso.

O evento, que tem início ao meio dia na Sé Catedral da cidade, começa com uma Eucaristia Dominical presidida por Dom Américo Aguiar.

Já na parte da tarde, é às 15 horas que o Auditório do Cine-Teatro Avenida abre as portas para receber Arame Ensemble, um momento de música tradicional que marca o arranque desta tarde cultural.

Para o Presidente da Câmara de Castelo Branco, José Augusto Alves “É uma honra poder receber esta iniciativa em Castelo Branco. Somos cada vez mais reconhecidos enquanto concelho cultural de excelência e este evento vem reforçar esse posicionamento, pelo qual temos trabalhado ao longo dos anos. Juntar tantas personalidades num só espaço e num só dia é, por si só, um motivo de grande orgulho”.

Rosabela Afonso marcará presença no pré-lançamento do seu mais recente livro ‘Maria e Sophia, Confidências e Desabafos’, uma apresentação que estará a cargo de Henrique Monteiro e Luísa Mellid-Franco. Com uma forte homenagem à cidadania e à resiliência, este livro relata encontros iniciados em 1967 entre Maria Barroso e Sophia de Mello Breyner Andresen quando estas visitavam os respetivos maridos na prisão de Caxias. O regime repressivo que dominava e caracterizava aquela época não as conseguiu demover de uma cidadania ativa, exemplar e participativa mesmo em tempos dolorosos.

O Prémio Maria Barroso, Jornalismo ao Serviço da Paz e do Desenvolvimento será entregue a Aura Miguel pelas 16h, seguindo-se a exibição de documentário dedicado a Maria Barroso. A grande entrevista a Aura Miguel estará a cargo de José Pedro Frazão, com a presença e depoimentos de Dom Américo Aguiar e Frei Fernando Ventura. Os escritores convidados estarão disponíveis para uma sessão de autógrafos que encerrará o evento.

Atendendo aos tempos pandémicos em que vivemos, o evento será de livre acesso mas condicionado por inscrição limitada, prévia e obrigatória, devendo os interessados manifestar a sua intenção de participação através do email camara@cm-castelobranco.pt.