Link para página

Este site utiliza cookies que facilitam a navegação, ou o registro e a captura de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso site Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

“CASULO”: O FUTURO DOCE IDENTITÁRIO DE CASTELO BRANCO

29 mai, 2020

Foi em conferência de imprensa, no Museu da Seda, que o concurso para o desenvolvimento do futuro bolo/doce identitário de Castelo Branco, “Casulo”, foi apresentado.

O desenvolvimento do bolo/doce tem como obrigatória a utilização da amora, fruto da Amoreira e árvore da qual as folhas são a fonte de alimentação do Bicho-da-Seda, que produz o casulo de onde se extrai seda para o desenvolvimento do Bordado de Castelo Branco.

Poderão participar no concurso todos os que quiserem dar largas à sua imaginação e criar um produto que represente Castelo Branco.

A ideia surge de um desafio lançado pela Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Castelo Branco à Câmara Municipal de Castelo Branco e conta com o Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar de Castelo Branco (CATAA) como parceiro.

Considerando que a iniciativa é “um complemento à estratégia de promoção e divulgação dos nossos produtos endógenos e do nosso território”, Luís Correia, Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, destaca ainda o papel fundamental do CATAA como coordenador do concurso, realçando que “este é um excelente exemplo de trabalho de cooperação entre instituições locais”.

Para além do desenvolvimento do regulamento para o concurso, o CATAA ficará responsável pela receção dos produtos dos participantes, pela condução do processo de análises sensoriais, físico-químicas e microbiológicas, bem como pela constituição do júri que irá analisar as propostas do bolo/doce.

Esperando o maior sucesso para o “Casulo” e que este permita “identificar ainda mais Castelo Branco”, a Presidente da APPACDM, Maria de Lourdes Pombo, considera que este é “um sonho tornado realidade”.

Criando um símbolo identitário da região, o bolo/doce pretende contribuir para a promoção e divulgação da cultura, uma vez que alia o Bicho-da-Seda, ligado ao Bordado de Castelo Branco, e da gastronomia, através da criação de um produto da região que é a base do bolo/doce.

As inscrições estão abertas até dia 16 de outubro em cataa.pt.