Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

FRONTEIRA - FESTIVAL LITERÁRIO

FLCB A comunidade albicastrense tem experienciado, nos últimos anos, um dos períodos de maior incremento em termos de equipamentos de lazer e cultura, com o proporcional aumento da oferta para o público. Um dos mais emblemáticos foi a nova Biblioteca Municipal, que faculta o acesso a um vasto património literário e oferece também todos os serviços que um equipamento desta natureza pressupõe.

Noutro plano, a Câmara Municipal tem mantido uma atividade editorial intensa, sobretudo na área dos livros dedicados à recuperação da história da cidade e da Região, sem esquecer outras publicações com características diversificadas.

Estas são algumas das razões que estão na origem do projeto do Festival Literário em Castelo Branco, que foi, também, o primeiro a ser promovido no Interior.

Iniciado em 2012, o Festival Literário de Castelo Branco tem proporcionado o contacto com grande número de autores (poetas, romancistas, dramaturgos, ensaístas, ilustradores).

Caracterizado pelo trabalho que desenvolve junto dos alunos e professores das escolas do Concelho, o Festival Literário de Castelo Branco - Fronteira distinguiu já autores como José Manuel Castanheira, Carlos Correia, António Salvado, albicastrenses, e ainda Mia Couto e Manuel Alegre.

O êxito sedimentado do Festival Literário de Castelo Branco - Fronteira, associado à vontade efetiva do município em gerar um assinalável incentivo à escrita, e, por esta via, à leitura, através do apoio e até mesmo à edição de livros, provou que é possível assumir uma atitude mais proactiva, capaz de promover um conjunto diversificado de instrumentos de sedução para a leitura e a escrita e para todas as manifestações artísticas que a elas se associam.

Alguns dos convidados que já passaram pelo Festival Literário:

Ana Maria Magalhães

Ana MagalhãesNasceu em Lisboa no dia 14 de abril de 1946. Licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, é professora de Português e História no ensino preparatório desde 1969.

Foi técnica de gabinete do FAOJ durante dois anos e professora destacada no Serviço de Ensino Básico e Secundário de Português no estrangeiro. Formadora de professores de História.

Professora destacada no Instituto de Inovação Educacional para realizar um estudo sobre os hábitos de leitura das crianças e jovens portugueses.

É coautora de vários livros didáticos e de várias coleções, entre as quais a célebre «Uma Aventura».

Isabel Stilwell

Diretora do jornal Destak, temum longo percurso na imprensa, que começou em 1981 na redação do Diário de Notícias, passando depois pelas revistas Marie Claire, Pais e Filhos (que fundou e de que foi diretora) e Notícias Magazine (de que foi diretora 13 anos).

Mantém há cinco anos um programa diário na Antena 1, Os Dias do Avesso, com o professor Eduardo Sá.

Escreve livros, tendo-se dedicado nos últimos anos a romances históricos sobre as rainhas de Portugal. A seguir ao sucesso de Filipa de Lencastre, escreveu sobre D. Catarina de Bragança, D. Amélia e, em 2012, publicou D. Maria II — Tudo por um reino, há 20 semanas ininterruptamente nos tops. D. Maria II, sob o título Maria da Glória — Uma princesa brasileira que foi rainha de Portugal, foi lançado em julho no Brasil. É mãe de três filhos e avó de duas netas gémeas.

José Jorge Letria

José Jorge LetriaJornalista nos mais importantes jornais portugueses e escritor com vasta obra publicada.

A sua obra poética, teatral e infantojuvenil está traduzida em mais de uma dezena de línguas, tendo sido distinguida com importantes prémios nacionais e internacionais, com destaque para dois Grandes Prémios da Associação Portuguesa de Escritores, dois prémios Eça de Queiroz — Município de Lisboa, o Prémio Internacional UNESCO, o prémio Aula de Poesia de Barcelona, o prémio Plural (México) ou o Prix International des Arts et des Lettres (Paris). É presidente da Sociedade Portuguesa de Autores.

Júlio Magalhães

Júlio MagalhãesÉ jornalista e autor de Os Retornados— Um amor nunca se esquece, Um Amor em Tempos de Guerra e Longe do Meu Coração, três êxitos com mais de 100 mil exemplares vendidos.

Em 2011 publicou o romance Por Ti Resistirei. Nascido no Porto, foi para Angola com 7 meses, tendo vivido um ano em Luanda e 12 em Sá da Bandeira (Lubango).

Em 1975 regressou para Portugal, mais precisamente para a cidade do Porto. Aos 16 anos, iniciou a sua carreira como colaborador de O Comércio do Porto na área do desporto. Dois anos mais tarde, integrava os quadros do mesmo jornal. Trabalhou ainda no Jornal Europeu, no semanário O Liberal, na Rádio Nova e, em 1990, estreou-se na RTP. Nessa estação, além de ter sido jornalista e repórter, apresentou o programa da manhã e o Jornal da Tarde.

Foi diretor de Informação da TVI. Atualmente é diretor-geral do Porto Canal. O seu romance mais recente é Não Nos Roubarão a Esperança (2012).

Mário Zambujal

Nasceu em 1936. Jornalista e escritor, trabalhou na televisão e em jornais como A Bola, Diário de Lisboa e Diário de Notícias, em especial na área do desporto.
Estreou-se na literatura em 1980 com a Crónica dos Bons Malandros, um livro que tem cativado sucessivas gerações de leitores, tendo sido adaptado ao cinema por Fernando Lopes. Seguiram-se Histórias do Fim da Rua, em 1983, e À Noite logo Se Vê, em 1986.

Após um interregno em que produziu textos para televisão, teatro e rádio, regressou aos livros com Fora de Mão (uma coletânea de contos e crónicas), Primeiro as Senhoras, Já não Se Escrevem Cartas de Amor, Dama de Espadas — Crónicas dos Loucos Amantes, Longe É Um Bom Lugar e Uma Noite não São Dias. Assume atualmente a presidência do Clube de Jornalistas. Cafuné (Clube do Autor) é o seu romance mais recente.

Mia Couto

Mia CoutoMia Couto nasceu na Beira, Moçambique, em 1955. Foi jornalista e professor, e é atualmente biólogo e escritor. Está traduzido em diversas línguas. Entre outros prémios e distinções (de que se destaca a nomeação, por um júri criado para o efeito pela Feira Internacional do Livro do Zimbabwe, de Terra Sonâmbula como um dos doze melhores livros africanos do século XX), foi galardoado, pelo conjunto da sua já vasta obra, com o prémio Vergílio Ferreira 1999 e com o prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007.

Ainda em 2007, Mia foi distinguido com o prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia. Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da rentrée literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama. Em 2011 venceu o prémio Eduardo Lourenço, que se destina a premiar o forte contributo para o desenvolvimento da língua portuguesa. Em 2013 foi galardoado com o prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

Valter Hugo Mãe

Valter Hugo MãeValter Hugo Mãe - nasceu em Saurimo, Angola, no ano de 1971. Licenciou-se em Direito e é pós-graduado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. Publicou, entre outros, os romances «O Remorso de Baltazar Serapião» (Prémio Literário José Saramago, 2007), «A Máquina de Fazer Espanhóis» (Grande Prémio Portugal Telecom, 2012, em duas categorias: melhor romance e melhor livro do ano), «O Filho de Mil Homens» e «A Desumanização».

A sua poesia encontra-se reunida no volume «Contabilidade». Escreveu diversos livros ilustrados para os mais novos, entre os quais «Quatro Tesouros» ou «O Paraíso São os Outros».

Inês Pedrosa

Inês PedrosaNasceu em 1962. Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, trabalhou na imprensa, na rádio e na televisão. Dirigiu a revista Marie Claire entre 1993 e 1996. Foi diretora da Casa Fernando Pessoa entre 2008 e 2014. Mantém há 13 anos uma crónica semanal, primeiro no semanário Expresso e atualmente no semanário Sol.

Tem 23 livros publicados, entre romances, contos, crónicas, biografias e antologias. A sua obra encontra-se publicada no Brasil, em Espanha, em Itália e na Alemanha. O romance A Eternidade e o Desejo foi finalista do Prémio Literário PT 2009 e do Prémio Correntes d’Escritas 2010. Recentemente, publicou Desnorte, um novo livro de contos.

José Eduardo Agualusa

José AgualusaNasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura em Lisboa. É jornalista. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim.

É autor dos livros A Conjura (romance, 1988, prémio Revelação Sonangol), A Feira dos Assombrados (contos, 1992), Estação das Chuvas (romance, 1996), Nação Crioula (romance, 1998, Grande Prémio de Literatura RTP), Fronteiras Perdidas (contos, 1999, Grande Prémio de Conto da APE), A Substância do Amor e Outras Crónicas (crónica, 2000), Estranhões e Bizarrocos, com Henrique Cayatte, (infantil, 2000, Prémio Nacional de Ilustração e Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian), Um Estranho em Goa (romance, 2000), A Girafa que vendia estrelas (infantil, 2005), A Educação Sentimental dos Pássaros (contos, 2011), entre outros.

As suas obras estão traduzidas para diversas línguas europeias.

 

  • Espaços Culturais
  • Cultura Vibra
  • Castelo de Artes
  • Viola Beiroa
  • Iberencontros
  • Danças Tradicionais
    da Lousa