Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Manuel Cargaleiro

1927
Nasce a 16 de Março, em Chão das Servas, Vila Velha de Ródão, Portugal.

1928
Passa a residir na Quinta da Silveira de Baixo, no Monte da Caparica.

1939
Inicia os estudos no Instituto Secundário de Lisboa.

1945
Primeiras experiências de modelação de barro, na olaria de José Trindade, Monte da Caparica.

1946
Ingressa na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, no curso de Geografia e Ciências Naturais, que mais tarde abandona para se dedicar exclusivamente às Artes Plásticas.
Inicia a sua atividade como ceramista na Fábrica Sant'Anna, em Lisboa.

1949
Participa pela primeira vez na exposição coletiva "Primeira Exposição de Cerâmica Moderna" organizado por António Ferro, na Sala de Exposições do Secretariado Nacional da Informação, Cultura Popular e Turismo (SNI), no Palácio Foz - Lisboa.

1950
Organiza, em colaboração com a Comissão Municipal de Turismo do Concelho de Almada, o I Salão de Artes Plásticas da Caparica, em Almada.

Manuel Cargaleriro - 21951
Participa na exposição coletiva "Segunda Exposição de Cerâmica Moderna", na Sala de Exposições do SNI, no Palácio Foz e obtém uma menção honrosa.

1952
Primeira exposição individual Exposição de Cerâmica de Manuel Cargaleiro, com texto de Jorge Barradas, nas Salas de Exposições do SNI, Palácio Foz - Lisboa.
Participa na exposição coletiva "Terceira Exposição de Cerâmica Moderna", na Sala de Exposições do SNI, no Palácio Foz e obtém uma menção honrosa.
Participa na exposição coletiva Mostruário da Arte e da Vida Metropolitana, no âmbito das Comemorações do IV Centenário da Morte de S. Francisco Xavier, organizado pela Agência Geral do Ultramar em Goa, Índia.

1953
Expõe pintura pela primeira vez no Salão da Jovem Pintura, na Galeria de Março, em Lisboa.

1954
Exposição individual Cerâmicas de Manuel Cargaleiro, com texto de Diogo de Macedo, na 24.ª exposição da Galeria de Março, no dia 06 de fevereiro em Lisboa.
Recebe o Prémio de Artes Plásticas para ceramistas, Sebastião de Almeida, atribuído pelo SNI.
Professor de Cerâmica na Escola de Artes Decorativas António Arroio, em Lisboa.
Conhece Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szènes.
Primeira viagem a Paris.

1955
Dirige os trabalhos de passagem para cerâmica das estações da Via Sacra do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, da autoria de Lino António.
Participa na exposição coletiva Fifth International Exhibition of Ceramic Art, no Kiln Club of Washington, em Washington.
Recebe o Diplôme d’Honnneur de l’Académie Internationale de la Céramique (AIC), aquando da sua participação no I Festival International de Céramique, em Cannes.
Exposição coletiva com F. Lemos e Vespeira, na Galeria Pórtico, em Lisboa.

1956
Participa na coletiva Primeiro Salão dos Artistas de Hoje, na Sociedade Nacional de Belas Artes (SNBA), em Lisboa.
Primeiro Prémio no concurso para o revestimento em cerâmica dos edifícios da Cidade Universitária de Lisboa (projeto não concretizado).
Realiza os painéis de cerâmica para o Jardim Municipal de Almada.
Realiza o painel de azulejos para a fachada da nova Igreja de Moscavide.

1957
Recebe uma bolsa do Governo Italiano, por intermédio do Instituto de Alta Cultura, que lhe permite visitar Itália e estudar a arte da cerâmica em Faenza, com Giuseppe Liverani, Roma e Florença.
Exposição Cargaleiro: Cerâmicas, com texto de Ruben A., na Galeria Alvarez, no Porto.
Fixa residência em Paris.

1958
Recebe uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para estágio na Faiencerie de Gien, sob a orientação de Roger Bernard.
Participa no XVI Concorso Nazionale della Ceramica: Faenza no Museo Internazionale delle Ceramiche in Faenza (MIC).
Participa na III Exposição de Artes Plásticas, no Convento dos Capuchos, em Almada.
Oferece peças de cerâmica popular, dois painéis e um vaso de sua autoria, para a reconstituição da secção portuguesa do MIC, muito danificado durante a II Guerra.
Com Lourdes de Castro e René Bertholo, aluga um apartamento na Rue du Vieux Colombier, Paris.

1959
Adquire um atelier na Rue des Grands-Augustins 19, em Paris, onde passa a residir.
Participa na exposição coletiva, com Camille Bryen, Jean Arp e Max Ernst, na Galerie Edouard Loeb, Paris.
Participa na exposição Céramiques Contemporaines, no Musée des Beaux-Arts, Ostende, Bélgica.
Exposição Cerâmica de Manuel Cargaleiro na Galeria Diário de Notícias, Lisboa.

1960
Participa na I Exposição de Poesia Ilustrada, no Café Dragão Vermelho, Almada.
Participa na exposição coletiva Arte Moderna, no Café Dragão Vermelho, Almada.
Participa na IV Exposição de Artes Plásticas, no Convento dos Capuchos, em Almada.
Participa na exposição da AIC, no Musée Ariana, Genebra, Suíça.
Exposição coletiva na Galerie Edouard Loeb, Paris.

1961
Participa na V Exposição de Artes Plásticas na Sala de Exposições do SNI, no Conventos dos Capuchos, em Almada.

1962
Expõe gouaches na Galerie Suzanne Bollag, Zurique.

1963
Primeira exposição individual em Paris, na Galeria Valérie Schmidt.

1964
Exposição Pinturas de Manuel Cargaleiro, texto de José Roberto Teixeira Leite, na galeria de exposições temporárias do Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, a convite do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.
Exposição Pinturas de Manuel Cargaleiro, texto de José Roberto Teixeira Leite, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, Brasil.
Exposição Pinturas de Manuel Cargaleiro, texto de José Roberto Teixeira Leite, no Salão Vermelho do Hotel Nacional, em Brasília, Brasil.
Exposição Pinturas de Manuel Cargaleiro, texto de José Roberto Teixeira Leite, na Galeria Seta, em São Paulo, Brasil.
Organiza na Galeria Gravura, em Lisboa, a exposição 12 Artistas de Paris: Gravuras da Coleção Manuel Cargaleiro.
Ilustra o livro Passage du Silence de Bernard Mazo, Editions Rougerie.

1965
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie Arc-en-Ciel, Tóquio, Japão.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie Valérie Schmidt, Paris, França.
Exposição Coletiva de Gravuras, na Galeria Espaço, Lisboa.
Exposição 7 Artistas de Paris, na Bienal de São Paulo, Brasil.
Participa na Exposição de Novembro, na SNBA, Lisboa.
Exposição Fête du Passage, na Galerie Françoise Bernard, Paris, França.

Manuel Cargaleiro 31966
Exposição Manuel Cargaleiro, com texto de Eugénio de Andrade, na Galeria da Árvore, Porto.
Participa na exposição coletiva da International Society of Plastic and Audio Visual Art (ISPAA), na Nakamyia Gallery, em Osaka.
Exposição Seis Pintores Portugueses de Paris, na Galeria Buchholz, Lisboa.

1967
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galeria Moderner Kunst, Rheinhausen, Alemanha.
Participa na 2.ª Exposição de Arte Moderna Portuguesa, no Funchal.
Participa na exposição coletiva da ISPAA, na Shinsegue Gallery, em Seul.
Exposição Aspetos da Gravura em Portugal, 1957-1967, na Galeria Gravura, Lisboa.

1968
Exposição Pintores Portugueses, na Galeria Dinastia, Lisboa.
Exposição Coleção de Manuel Cargaleiro, na Galeria Gravura, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Herberto Helder, na Galeria Dinastia, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Herberto Helder, na Galeria Dominguez Alvarez, Porto.
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Egídio Álvaro, na Galeria Luna 2, Turim, Itália.
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Georges Borgeaud, na Galerie du Manoir, Chaux-de-Fonds, Suíça.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galeria Convívio, Guimarães.
Participa na Exposição de Arte Moderna, no Museu José Malhoa, nas Caldas da Rainha.

1969
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Egídio Álvaro, em Luanda, Angola.
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Egídio Álvaro, em Lourenço Marques (Maputo) e Beira, Moçambique.
Ilustra a coletânea de poemas Microcosmies de Armand Guibert, Col. A l'Oiseau Privé.
Exposição coletiva Gravure Portugaise Contemporaine, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.

1970
Exposição Cargaleiro Expõe Painéis de Azulejos, texto de Armand Guibert, na Galeria de São Mamede, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro: Peintures Récents, texto de Egídio Álvaro, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.
Exposição Gouaches na Galeria Beno d’Incelli, Paris.
Exposição Manuel Cargaleiro, no Atelier 22, Bourg-en-Bresse, França.

1971
Executa o painel em cerâmica para o Liceu de Sauges, Haute-Loire, por encomenda do Ministério da Cultura de França.
Exposição Cargaleiro, texto de Alain Bosquet, na Abbaye de Royaumont, organizada pela Fondation de Royaumont, França.
Exposição Manuel Cargaleiro: Pintura e Cerâmica, texto de José Francisco Leal Agostinho Dias e Diogo de Macedo, na Câmara Municipal do Seixal.
Ilustra a coletânea de poemas Australes de Armand Guibert, Col. A l'Oiseau Privé.

1972
Executa o painel cerâmico para o Centre Scolaire d’Antibes, por encomenda do Ministério da Cultura de França.
Exposição Obra Gravada, Retrospetiva, na Galeria São Francisco, Lisboa.
Exposição Cargaleiro, na Galeria Alvarez, Porto.
Exposição Manuel Cargaleiro: Gouaches, texto de Jean Cassou, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.
Conhece Sónia Delaunay.

1973
Exposição Cargaleiro: Óleos, Gouaches, Cerâmicas, texto de Juvenal Esteves, na Galeria São Mamede, Lisboa.
Exposição Peintures Récentes de Manuel Cargaleiro, na Galerie Albert Loeb, Paris.
Executa painéis em cerâmica para o Centre Scolaire de Limoges, por encomenda do Ministério da Cultura de França.
Edição da coletânea de poemas Manuel Cargaleiro de Alberto Lacerda.
Exposição Cinq Peintres Portugais, na Galerie Mony Calatchi, Paris.
Exposição Pintura Portuguesa de Hoy, no Palau de la Virreina, Barcelona.
Exposição Pintura Portuguesa de Hoje: Abstractos e Neofigurativos, na SNBA, Lisboa.
Exposição de Artistas Modernos Portugueses, na Galeria Quadrum, Lisboa.

1974
Edição de uma medalha da autoria do escultor Lagoa Henriques para comemoração do 25º aniversário da atividade artística de Manuel Cargaleiro.
Homenagem a três artistas da Beira Baixa: Eugénio de Andrade, José Cardoso Pires e Manuel Cargaleiro, organizada pelo Jornal do Fundão.
Faz parte do júri do VIII Salão de Arte Infantil: Para o Desenvolvimento de uma “Imaginação Criadora”, promovido pelo Estoril Sol.
Exposição Cinco Pintores Portugueses, na Galeria Dinastia, Lisboa.
Exposição Intergravura, na Galeria São Francisco, Lisboa.
Exposição Gravura Portuguesa Hoje, na Galeria Gordillo, Lisboa.

1975
Exposição Manuel Cargaleiro, texto de Maurice Pianzola, na Galerie Dédale, Genebra, Suíça.
Exposição Gravure Portugaise Contemporaine, 1970-1975, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.

1976
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie du Manoir, Chaux-des-Fonds, Suíça.
Exposição Cargaleiro na Galeria La Nuova Sfera, Milão, Itália.
Exposição Cargaleiro: Peintures et Gouaches, texto de Vitorino Nemésio, na Crearco Galerie 75, Lausane, Suíça.
Ilustra o livro A Água e o Vento de Victor Ferreira.

1977
Exposições Incisione Portoghese Contemporanea, no Palazzo d'Accursio, em Bolonha; e na Galleria d'arte dell'Opera Bevilacqua La Masa, em Veneza - Itália.
Exposição Cargaleiro: Gouaches, texto de Vitorino Nemésio, na Galeria São Mamede, Lisboa.
Participa na International Udstilling af Nutidig Billedkunst, em Kobenhaun, Dinamarca.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie Jacob, Paris.

1978
Exposição Cargaleiro, texto de João Clemente Baena Soares e Nuno Alçada, na Galeria B da Fundação Cultural do Distrito Federal, Brasília.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galeria Zen, Porto.
Exposição Manuel Cargaleiro - Obra Gravada: 1957-1978, texto de Virgílio Ferreira na Galeria São Mamede, Lisboa. Edição do livro Manuel Cargaleiro - Obra Gravada: 1957-1978 com introdução de Virgílio Ferreira.
Participa na I Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira.
Exposição Modern Portuguese Tapestries, no Kensington Palace, em Londres.

1979
Edição da serigrafia Na Noite e no Silêncio, com o poema Ladainha dos Póstumos Natais de David Mourão-Ferreira, pela Galeria São Mamede, Lisboa.
Exposição Treze Artistas, na Galeria São Francisco, Lisboa.

1980
Exposição Cargaleiro, na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, organizada pela Acta Médica Portuguesa.
Exposição Bibliográfica e Pintura de Manuel Cargaleiro, na sede do Grupo dos Amigos da Foz do Cobrão, Vila Velha de Ródão.
Exposição Óleos e Gouaches de Cargaleiro, texto de Juvenal Esteves, na Galeria Municipal de Portalegre.
Exposição Cargaleiro, texto de Jaques Dopagne, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.
Exposição Cargaleiro: Pintura, Gravura, Cerâmica e Tapeçaria, na Galeria de Arte do Casino do Estoril.
Participa na II Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Maison de la Culture André Malraux, Reims.
Exposição Óleos e Gravuras de Cargaleiro, texto de Juvenal Esteves, na Galeria de São Mamede, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Casa-Museu Nogueira da Silva, Braga.
Exposição Óleos e Gouaches, no Museu Francisco Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco.
Exposição Gouaches, na Galerie Jacob, em Paris.
Executa o cartão original de uma tapeçaria para o novo edifício sede da  Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, por encomenda do Governo Português.
Edição da serigrafia Homenagem a Röntgen, por ocasião da Reunião Científica Comemorativa da Inauguração da Sociedade Portuguesa de Radiologia e Medicina Nuclear.

1981
Exposição 10 Óleos e 10 Gouaches, texto de Agustina Bessa-Luís, na Galeria de São Mamede, Lisboa.
Exposição Óleos e Gouaches, na Galeria 77, Caracas, Venezuela.
Exposição coletiva Peintres de L’École de Paris, Galeria Redec Plaza, Jeddah, Arábia Saudita.
Ilustra o poema Fabeltier de Édouard Roditi.

1982
Exposição Manuel Cargaleiro, na Feira Internacional de Arte Contemporânea - FIAC 82, no Grand Palais, França.
É agraciado com a Ordem da Cruz de Santiago da Espada pelo Presidente da República, General Ramalho Eanes, no Dia de Portugal.
Exposição de Azulejos de Manuel Cargaleiro, texto de Santos Simões, na Galeria São Mamede, Lisboa
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie des Ambassades, Paris.
Integra a coleção de serigrafias e gravuras coeditadas pelo Unibanco e Imprensa Nacional - Casa da Moeda.
Ilustra os álbuns de poemas: Être un Autre de Édouard Roditi, Edição de Isaac Holly, com 5 serigrafias numeradas e assinadas; Como Alguém Disse de Luís Miguel Nava, Contexto Editora; [Capa] Interior à Luz de António Salvado [Edição do Autor].

1983
Exposição Gravuras e Serigrafias, na Galeria Roma e Pavia, Lisboa.
Exposição Obra Gráfica, 1978-1982, na Galeria Presença, Coimbra.
Exposição La Suite d’Orphée – Gouaches Récentes de Cargaleiro, texto de Gérard Xuriguera e Jaques Dopagne, na Galerie des Ambassades, Paris.
Exposição Manuel Cargaleiro - Obra Gravada: 1978-1983, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.
Exposição Cargaleiro: Exposição de Serigrafias, na Quetzal Galeria de Arte, Funchal.
Exposição Óleos e Gouaches de Cargaleiro, texto de David Mourão-Ferreira, na Galeria de São Mamede, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie Troisième, Bordéus, França.
Edição do livro Connaître la Peinture de Cargaleiro, de Jacques Dopagne, Paris.
Realiza os azulejos para a fachada do Instituto Franco-Português, Lisboa.
Ilustra as publicações: Adão, Eva e o Mais de António Osório, cuja edição original é acompanhada de uma serigrafia intitulada O tempo só estrangula quem não Ama. Edição Imprensa Nacional - Casa da Moeda; Urgências de Alexandre O'Neill.
Integra o júri do IV Salão de Outono do Casino Estoril e do Concurso Universitário de Fotografia da Universidade Livre.
Participa no Encontro Portugueses no Mundo – Uma Cultura a Preservar, Porto.

1984
É agraciado com o Grau de Officier des Arts et des Lettres pelo Governo Francês.
Galardoado com o Troféu Lusíada, atribuído anualmente pelo Elos Clube, às individualidades que se distinguiram na divulgação de Portugal no estrangeiro.
Faz parte da Comissão Consultiva da I Exposição Ibérica da Arte Moderna, realizada em Campo Maior.
É Presidente do júri da final nacional do concurso Construções na Areia, promovido pelo Diário de Notícias.
Oferece 41 obras inéditas ao Museu Francisco Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco, destinadas à realização de exposições itinerantes.
Exposição Obras Inéditas, no Museu Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo Branco.
Exposição Cargaleiro: 30 anos de Pintura, texto de N. Lima de Carvalho, na Galeria de Arte do Casino do Estoril. Apresentação do álbum Manuel Cargaleiro – 30 Anos de Pintura, Ed. Atlântico.
Exposição Huiles et Gouaches, na Galarte – Galerie d’Art Contemporain, Paris.
Exposição Gravuras, na Livraria/Galeria Ferreira de Castro, Oliveira de Azeméis.
Exposição Cargaleiro, texto de Jorge Guimarães, na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro: Exposição Retrospectiva, texto de Juvenal Esteves, no Centro Municipal de Cultura, de Vila Velha de Ródão.
Exposição Acrílicos e Gravuras, no Centro Municipal de São Lourenço, Almansil.

1985
Exposição Obra Gravada: Exposição Retrospectiva, texto de Joaquim Matos Chaves, na Câmara Municipal de Coimbra.
Exposição Retrospectiva da Obra Gravada de Cargaleiro, no Edifício do Ginásio Clube Portugês, Lisboa.
Exposição Pinturas e Gouaches, texto de Pedro Dias, na Galeria Presença, Coimbra.
Exposição Retrospectiva da Obra Gravada de Cargaleiro, na Pousada do Castelo, Palmela.
Exposição Azulejos, texto de Rafael Salinas Calado, na Galeria de São Mamede, Lisboa.
Participa em The Second International Contemporary Art Fair, em Londres; e no 1º Encontro de Artistas Plásticos da América Latina, Espanha e Portugal, em Israel.
Emissão, pelos Correios de Portugal, de um selo de sua autoria, comemorativo dos Cinco Séculos do Azulejo em Portugal.

1986
Exposição Cargaleiro, texto de Alain Bosquet, na Galarte – Galerie d’Art Contemporain, Paris.
Exposição Homenagem a Manuel Cargaleiro, no Casino da Póvoa de Varzim.
Exposição Gravura, texto de Jorge Guimarães, na Câmara Municipal de Chaves e na Câmara Municipal da Covilhã.
Exposição Manuel Cargaleiro - Serigrafias, na Câmara Municipal do Fundão.
Exposição coletiva Júlio Resende, Artur Bual, Manuel Cargaleiro... expõem na Galeria S. Pedro em Amarante, organizada pela Secretaria de Estado das Comunidades Europeias e pela Câmara Municipal de Amarante.

1987
Exposição Manuel Cargaleiro - Serigrafias, na Alliance Française, Lisboa.
Exposição Cargaleiro: Exposição de Gravura, texto de E. M. de Melo e Castro, Câmara Municipal de Santarém.
Exposição Desenho, Pintura e Cerâmica, na Galeria Municipal de Aveiro.
Exposição Manuel Cargaleiro, em Montemor-o-Velho.
Exposição Obra Gravada de Manuel Cargaleiro, no Museu Francisco Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco.
Exposição Cargaleiro: Peintures Récentes, texto de Édouard Roditi, na Galerie Marumo, Paris.
Exposição Cargaleiro: 30 anos de gravura 1957-1987, na Galeria da UNICRE, Lisboa.
Exposição Óleos e Gouaches, texto de David Mourão-Ferreira, Édouard Roditi e Jorge Guimarães, na Galeria da Pousada de Santa Marinha, Guimarães.
Executa um painel a óleo sobre madeira, de grandes dimensões, para a Companhia de Seguros Bonança.
Realiza, em azulejo, a decoração da estação de metro Colégio Militar – Luz, em Lisboa.
Dirige os trabalhos de passagem para azulejos de uma obra de Maria Helena Vieira da Silva para a estação de metro da Cidade Universitária, Lisboa.
Intervenção com azulejos no monumento ao Dr. José R. Toscano Pessoa, da autoria de Lagoa Henriques, Monte da Caparica.
Integra a Comissão de Honra e o júri de Pintura da I Mostra de Artes e Ideias, promovida pelo Clube Português de Artes e Ideias.
Participa na coleção Azulejos do Minho, editada pela Galeria Nasoni, com 150 obras e 15 provas de artista.
Ilustra a capa de As Cartas Jogadas, de Jorge Guimarães, Guimarães Editores.

1988
Exposição Manuel Cargaleiro: Trabalho de 1954 a 1979, texto de Fernando Peres, na Galeria Nasoni, Porto.
Exposição Retrospectiva da Obra Gravada, no Solar da Praça de Santa Maria, Posto de Turismo de Montemor-o-Velho.
Exposição Gouaches, texto de Jean-Michel Maulpoix, na Galerie Marumo, Paris.
Exposição Obra Gravada, na Caixa Geral de Depósitos, Paris.
Exposição retrospetiva de Obra Gravada de Manuel Cargaleiro, em Reims, França.
É agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, pelo Presidente da República, Dr. Mário Soares, no Dia de Portugal.
Participa com óleos na ARCO/88, Madrid.
Participa com óleos na Feira Internacional de Arte Contemporânea (FIAC 1988), Paris.
Edição do livro Cargaleiro Desenhos, 1954-1985, com texto de Jorge Guimarães, Lello & Irmãos Editores.

1989
Exposições Cargaleiro, texto de Michel Bohbot, na Galerie Marumo, em Paris e na Galerie Reymondin, Geneva.
Exposição Tapeçarias, nos Paços do Concelho de Matosinhos.
Exposição Pintura, no Museu da Guarda.
Exposição 4 Peintres Portugais à Paris – Dacosta – Pomar – Cargaleiro – Jorge Martins, organizada pelo Union Latine e pela Delegação da Fundação Calouste Gulbenkian, no Palais de Tokyo, em Paris.
Agraciado com a Medalha de Ouro do Concelho de Vila Velha de Ródão.
Edição dos livros Manuel Cargaleiro: Gouaches e Óleos; e Manuel Cargaleiro: Tapeçarias.
Participa na exposição L'Europe des Céramistes em Auxerre, França.

1990
Em 31 de Janeiro institui, em Lisboa, a Fundação Manuel Cargaleiro.
Exposição Pintura, Desenho e Azulejo, na Galeria Municipal de Arte de Almada.
Exposição Pintura, Desenho e Azulejo, no Museu Municipal Amadeo Sousa-Cardoso, Amarante.
Exposição Manuel Cargaleiro: Peintures, texto de Jean-François Larralde, no Musée Guéthary, França.
Exposição Cargaleiro, texto de Joaquim Matos Chaves, na Galeria Nasoni, Porto.
Exposição Óleos, na Galeria Nasoni, Lisboa.
Participa na BIAF – Barcelona International Art Forum.
Executa o painel de cerâmica, de grandes dimensões, do empreendimento Estoril Garden, no Estoril.

1991
Recebe a Medalha de Mérito Distrital no âmbito das Comemorações do Dia de Portugal, em Setúbal.
Exposição Obra Gráfica, na Galeria Vandelli, Porto.
Exposição de pintura, na Galerie Valkaer, Bruxelas.
Exposição de pintura na Maison de la Culture André Malraux, Reims.
Participa na exposição Azulejos integrada na Europália 91, Bruxelas.
Participa na exposição coletiva de pintura na Universidade de Lovaina, Bélgica.
Ilustra Muros Brancos, de Maria Maia.

1992
Exposição Antológica: 1959-1974, na Confilarte Galeria, Vila Praia de Âncora.
Exposição Pintura, na Confilarte Galeria, Vila Praia de Âncora.
Exposição Manuel Cargaleiro, na sala de exposições Carré à la Farine, Versailles, França.
Exposição Cargaleiro, no Espace Paul et Andre Vera, em Saint-Germain-en-Laye, França.
Edição (Mar Largo) do livro Manuel Cargaleiro, Cerâmicas.

1993
Exposição Litografias, na Printemps, Tóquio.
Exposição Cargaleiro: Pintura, texto de Agustina Bessa-Luís, na Galeria Municipal das Caldas da Rainha.
Exposição Cargaleiro, Exposição de Pintura, texto de António Valdemar, na Galeria Artela, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro, no Espace Libergier, Reims.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Galerie Michel Valkaer, Bruxelas.
Ilustra a capa de Junho do Le Courrier de l'UNESCO.

1994
Condecorado com a Medalha de Ouro da Câmara Municipal de Almada.
A Escola Secundária do Fogueteiro, no Seixal, passa a chamar-se Escola Secundária Manuel Cargaleiro.
Exposição Cargaleiro, texto de César Príncipe, na Galeria d’Arte Diário Ramos, Porto.
Exposição Pintura, texto de Alain Bosquet, na Galeria Marquês de Tomar, Lisboa.
Exposição Manuel Cargaleiro - Pintura, texto de Alain Bosquet, na Câmara Municipal do Seixal.
Exposição Manuel Cargaleiro, na Maison des Arts Claude Monet, Argenteuil.
Exposições Rétrospective, l’Oeuvre Gravée, no município de Cluny e de Geugnon, França.
Ilustra a capa de Itinerarium, de Cláudio Lima, Edições Tartaruga.

1995
Realização do painel de azulejos da estação de serviço da Shell Portugal, em Gaia.
Realização do painel de azulejos para a Companhia de Seguros Império, em Lisboa.
Realização do painel de azulejos da estação de metro parisiense Champs-Élyses Clémenceau.
Ilustração de Os Lusíadas de Luís de Camões, edição de António Prates, Galeria São Bento.
Integra o júri do VIII Salão de Primavera, na Galeria de Arte do Casino Estoril.
Exposição Obra Gravada, Retrospetiva, no Institut Franco-Portugais, Lisboa.
Painel de azulejos na área de serviço da A1, em Vila Nova de Gaia.
Edição de Painéis de Azulejo de Manuel Cargaleiro para a Estação Champs-Élyses Clémenceau, pelo Metropolitano de Lisboa, com texto de Margarida Botelho.

1996
Exposição Grandes Mestres da Pintura, Galeria Ipanema Park Hotel, Porto.
Exposição Colecção Mário Soares, no Museu do Chiado, Lisboa.
Exposição Un Éclat Portugais: L’Art de L’Azulejo, Centro Cultural da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris.
Painel de azulejos para a Companhia de Seguros Império, Paris.
Executa para o Metropolitano de Lisboa 100 azulejos de peças únicas.
Exposição na Casa de Portugal, da Cidade Universitária de Paris.

1997
Painel de azulejos para a Caixa Geral de Depósitos, em Paris.
Executa 800 azulejos originais para os Laboratórios Roche.
Dirige a execução em azulejos da pintura de Vieira da Silva e Arpad Szènes para a estação de metro do Rato, em Lisboa.
Ilustra a capa de Palimpsesto de Teresa Vieira, Edição Dinalivro.
Publicação pela editora Livros Horizonte, do livro Cargaleiro Pintura 1957-1997, com texto de Ana Isabel Ribeiro
Ilustra Palavras Despidas de Música de António Sala, Edição Dinalivro.
Edição do livro Manuel Cargaleiro – Obra Gravada (ACD – Editores).
Ilustra a capa da Portugiesische Erzalilungen Des XX, Jahrhunderts, Alemanha - Edição Beck & Glükler.

1998
Exposição de pintura no Centro de Arte Contemporânea de Macau.
Realiza um grande painel de pintura sobre tela para a Fundação Agha Khan, em Lisboa.
Edição do livro Manuel Cargaleiro, Azulejos, publicado pela Roche.

1999
Condecorado com a Medalha de Honra do Seixal.
Recebe o I Grande Prémio Internacional Viaggio attraverso la ceramica, em Vietri sul Mare, Itália.
Exposição 50 anos de Cerâmica na Galeria Municipal Artur Bual, na Amadora.
Executa dois grandes painéis de azulejos para a Câmara Municipal da Guarda.
Edição do livro Manuel Cargaleiro – Cerâmica 1950-1999.
Publicação do livro Manuel Cargaleiro - Azulejos, edição ACD-Editores.

2000
Exposição Obra Gravada na Galeria de Arte Convento Espírito Santo, em Loulé (Câmara Municipal de Loulé).
Exposição de pintura, guaches e cerâmicas, na Galerie Albert Loeb, Paris.
Realiza para o Museo Provinciale della Ceramica, de Villa Guariglia, em Vietri sul Mare, Itália, um grande painel de azulejos.
Executa painéis de azulejos para o Banco BCP, em Paris.
Realiza no Seixal um grande painel de azulejos para a Escola Secundária Manuel Cargaleiro.
Executa dois painéis para a área de serviço CEPSA na A8 - Autoestrada Atlântico, Óbidos.

2001
Participa com trabalhos em pastel, no Pavilhão dos Aquários e das Belas Artes, Jardim das Tulherias, no espaço da Galerie Albert Loeb, Paris.

2002
Participa com azulejos na exposição Masterpiece, Palazzo Bricherasio, Turim, Itália.

2003
Exposição Retrospectiva da Obra Gravada – Manuel Cargaleiro, Centro Cultural, Nazaré.
Exposição Cargaleiro – Obra Gravada, no Convento de São José, Lagoa.
Exposição Cargaleiro – Obra Gravada, Museu Municipal de Faro.
Publicação do Livro Cargaleiro – Vietresse sobre a cerâmica realizada em Vietri sul Mare, texto de Enzo Biffi Gentile, Editions Manabò, Salerno, Itália.
Publicação do livro Manuel Cargaleiro – Obra Gravada, 1957-2003, Catálogo Raisonné, edição ACD-Editores, Lisboa.
Publicação do livro Manuel Cargaleiro, Lisbonne-Paris, 1950-2000, texto de Gilbert Lascault, Editions Palantines.

2004
Criação em Itália da Fondazione Manuel Cargaleiro.
Inauguração do Museo Artistico Industriale Manuel Cargaleiro, em Vietri sul Mare, Salerno, Itália.
Exposição Cargaleiro – Obra Gravada, na Galeria Municipal de Almeirim.
Exposição Cargaleiro – Obra Gravada, no Museu Municipal de Oliveira de Frades.
Exposição Manuel Cargaleiro – A Cerâmica na Arquitectura, Centro Cultural, Nazaré
Exposição Manuel Cargaleiro – A Cerâmica na Arquitectura, Galeria do Monte Seis Reis, Estremoz.
Executa os azulejos para a fonte do Jardim Público, em Castelo Branco.

2005
Inauguração do Museu Cargaleiro em Castelo Branco.
Exposição Manuel Cargaleiro – Céramiques, na Galerie Albert Loeb, Paris.
Realização de painel cerâmico monumental para Amalfi, Itália.

2006
Executa um painel de azulejos para o Instituti d´Arte Salerno, Itália.
Exposição coletiva na Galerie Albert Loeb, Paris.

2007
Exposição Manuel Cargaleiro - 7 Propostas para a Arquitectura, no Museu Nacional do Azulejo, Lisboa. Publicação de catálogo com textos de Enzo Biffi Gentili e Paulo Henriques.

2008
Decoração, de grande dimensão, em mosaico, da piscina Rivetti, Biella, Itália.
Realiza painel de azulejos para o Centro de Interpretação Ambiental de Castelo Branco. Executa painel de azulejos para a Faculdade de Arquitetura de Lisboa.
Ilustra o livro Duplo Esplendor, de Gonçalo Salvado, Edições Afrontamento.

2009
Inauguração de um painel de grandes dimensões realizado para a Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos, encomendado pela Câmara Municipal da Amadora.
Exposição Cargaleiro – Obra Gravada, no Museu do Som e da Imagem de Vila Real.

2010
Exposição Obra Gravada no vigésimo quinto aniversário da Escola Secundária Manuel Cargaleiro, no Seixal.

2011
Inauguração do novo edifício que amplia o espaço do Museu Manuel Cargaleiro em Castelo Branco.
Exposição de pintura na Galerie Albert Loeb, em Paris.
Realiza dois painéis de azulejos para o Turismo de Castelo Branco.

2012
Exposição de cerâmica de Manuel Cargaleiro e Giancappetti - XX Giornata Fai di primavera, la grande ceramica, na Pinacoteca de Salerno, em Itália.
Exposição de cerâmica L’arte di Manuel Cargaleiro, organizada pela Fondazione Cargaleiro em Villa Rufolo, Ravello, Itália.
Exposição coletiva na Galeria Valbom, em Lisboa.
Inauguração do Jardim Museu Manuel Cargaleiro, Villa de’Ruggiero Nocera Superiore, Itália.
Recebe da APOM – Associação Portuguesa de Museologia o Prémio Projecto Internacional Museus/Fundações pelos projetos institucionais em Portugal e Itália.
Realiza um painel de grandes dimensões, encomendado pela autarquia de Ravello, em Itália.
Exposições coletivas na Galerie Albert Loeb, em Paris, e na Galeria Valbom, em Lisboa.
Publicação do catálogo Manuel Cargaleiro: Vida e Obra, editado pela Câmara Municipal de Castelo Branco e Fundação Manuel Cargaleiro.

2013
Exposição Cargaleiro – Pinturas, na Galeria Municipal de Arte de Abrantes.
Exposição 7 Gravuras, 7 Cidades na Escola Secundária Manuel Cargaleiro, integrada nas comemorações do 86.º aniversário do seu patrono.
Inauguração do painel cerâmico Pannello dell'Amicizia em Ravello.

2014
Exposição de cerâmica Manuel Cargaleiro. Il retaggio dell’antico nelle culture mediterranee, no Palazzo Tolla organizada pelo Município de Ravello e pelo Centro Universitario Europeo per i Beni Culturali, no âmbito do Forum Internazionale delle Culture, em Ravello, Itália.
Inauguração do edifício Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, na Quinta da Fidalga, Seixal.

2015
Recebe o Prémio Obra de Vida do projeto SOS Azulejo, dedicado à salvaguarda e valorização do património azulejar português e coordenado pelo Museu da Polícia Judiciária.
Exposição coletiva L’abstraction de 1920 à nos jours, na Helene Bailly Gallery, Paris.
Exposição Manuel Cargaleiro - Pintura: 1954-2006, na Casa Garden - Delegação de Macau da Fundação Oriente. Inauguração da Fundazione Museo Manuel Cargaleiro, em Ravello, Itália.