Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

A ARTE DO MESTRE CARGALEIRO

“O Manuel Cargaleiro é a pessoa mais incapaz de maldade que conheço. Os seus olhos estão focados para o que há de bom nos outros e na vida.

A sua visão do mundo é luminosa.

A perversidade pode passar ao lado, engalanada; as suas cores não estão naquela paleta rigorosa. Por isso, cada obra que lhe sai das mãos é para sempre imune ao embaciamento, ou à fratura.

Tem a preciosidade e a presença de uma jóia, de um esmalte antiquíssimo ou de uma matéria de súbito inventada.

Como uma jóia irradia luz, de dentro.

A sabedoria técnica, a inteligência e experiência que a obra revela são parte de um gesto que continua irreprimível, um gesto de Alegria Original.

Estou convicto de que daqui a muitos anos, quando já não o pudermos anotar, muita coisa hoje celebrada estará coberta de pó, irrelevante ou materialmente destruída pelo tempo. Não uma obra do Manuel Cargaleiro”

Álvaro Siza Vieira, Porto, 1997