Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Estátuas do Paço em Arquivo 3D

17 mar, 2017

A Câmara Municipal de Castelo Branco está a desenvolver, com a Associação de Informática de Castelo Branco, o projeto Património Digital Arte Virtual, com o qual pretende criar um arquivo digital, com recurso ao mapeamento em 3D da estatuária existente no Jardim do Paço Episcopal.

O projeto Património Digital Arte Virtual pretende contribuir para a criação de um arquivo digital, com recurso ao mapeamento em 3D, da estatuária existente no Jardim do Paço Episcopal, para preservar o trabalho artesanal que deu origem às estátuas e, em caso de necessidade, para possibilitar a sua substituição por fac-similes.

50 das 97 estátuas do Jardim do Paço, já foram digitalizadas no FabLab do Centro de Empresas Inovadoras (CEi), um laboratório de fabricação digital e prototipagem rápida.

"Este é um projeto muito valioso e um bom exemplo do que temos estado a fazer em Castelo Branco. Há várias realidades envolvidas, como o FabLab, o CEi, o património e também a valorização das nossas associações e recursos humanos", afirmou o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

A primeira fase do projeto está concluída, a equipa técnica vai agora iniciar a digitalização das restantes estátuas, um trabalho que se prevê mais difícil devido às dificuldades de acesso e ao estado de conservação destas estátuas.

Luís Correia sublinhou a aposta no FabLab que se encontra no CEi ao serviço, não só das startup que ali estão, como da comunidade albicastrense e de toda a região, e que permitiu o desenvolvimento deste primeiro projeto que visa a preservação do património de Castelo Branco.

João Nuno Carvalhinho, um dos responsáveis do CEI, adiantou que o FabLab, instalado há cerca de um ano e meio, permitiu ter uma ferramenta e um projeto que coloca Castelo Branco na linha da "transformação digital e no topo das novas tecnologias".

O arquivo digital, além de criar uma salvaguarda para um património histórico/artístico singular, permite desenvolver competências para divulgação deste acervo, de forma inovadora e potencialmente enriquecedora da comunidade no seu todo.