Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Bordado de Castelo Branco na Catedral de Manchester

10 mar, 2017

O Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia, o Bispo da Catedral de Manchester, Rogers Govender, e a artista plástica Cristina Rodrigues acabam de apresentar publicamente o projeto em que o Bordado de Castelo Branco vai ser o protagonista da exposição que decorrerá, na Catedral de Manchester, em setembro.

O projeto, integralmente patrocinado pela Câmara Municipal de Castelo Branco, resulta de um trabalho criativo da artista plástica, que desenhou painéis de grande dimensão que passarão a ornamentar os principais altares da Catedral.

"Este é mais um passo que damos na valorização do ex-libris da cidade – O Bordado de Castelo Branco. Trata-se de uma obra de arte que vai estar exposta em Manchester e que irá correr o mundo. É um trabalho que levará para a cidade inglesa mais do que o nome de Castelo Branco, leva também um património, o trabalho exímio das bordadeiras", afirmou o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

Cristina Rodrigues, que está a desenvolver este projeto desde maio de 2016, com bordadeiras da Oficina-Escola do Bordado de Castelo Branco, explicou que produziu 158 desenhos de grandes dimensões até chegar aos quatro desenhos finais que foram aprovados pelo Conselho Local da Catedral de Manchester e, posteriormente, pelo Conselho Nacional.

A artista plástica explicou também que a ideia da peça têxtil em Bordado de Castelo Branco surgiu depois de saber da oferta, à Rainha Isabel II, de uma colcha feita com este bordado aquando da sua visita, em 1957, a Portugal.

"Este projeto foi sem dúvida o maior desafio da minha vida", sublinhou Cristina Rodrigues.

O Dean da Catedral de Manchester, Rogers Govender, explicou que a inauguração vai decorrer em setembro e que apesar de se tratar de uma obra de cariz permanente, a direção da Catedral de Manchester irá organizar exposições itinerantes com estas peças por diversos museus, não só em Inglaterra, mas também em outros países do mundo.