Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Castelo Branco recebe colóquio nacional sobre "o valor da água"

22 nov, 2018

Castelo Branco recebeu na passada terça-feira, dia 20, o colóquio, “O valor da Água” organizado pela Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA). Uma iniciativa que juntou no Centro de Empresas Inovadoras (CEi) responsáveis de serviços de Água e Saneamento de vários pontos do país.

O Presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, esteve presente na sessão de abertura e na sua intervenção destacou o investimento que a autarquia tem feito na gestão dos recursos hídricos no Concelho.

“Temos uma nova abordagem de gestão de espaços verdes, com a implementação da rega inteligente; fazemos o aproveitamento dos recursos promovendo o armazenamento da água, aferimos e atualizámos o cadastro existente em software Infra SIG, fizemos a sectorização da rede em Zonas de Medição e Controlo, colocando equipamentos de leitura de caudal e pressão, com telemetria; implementámos o processo de simulação e dimensionamento de redes com o sistema EPANET, em duas freguesias e em algumas zonas da cidade; fazemos com frequência, campanhas de deteção de fugas com loggers acústicos e geofone ;implementámos o processo de substituição de contadores com telemetria, investindo progressivamente na sua mudança, que totalizam cerca de 37.000 equipamentos e iniciámos o processo de telegestão nas vinte e quatro Estações Elevatórias de Águas Residuais existentes no Concelho”, enumerou Luís Correia.

A autarquia fez também nos últimos três anos fortes investimentos na renovação de redes que representam cerca de 6% dos 810 Km de condutas, e na renovação de coletores de águas residuais e pluviais, que representam cerca de 1.5% dos 500 Km existentes no Concelho.

De todo o trabalho que tem sido realizado e nos resultados obtidos, o autarca destacou, o combate às perdas de água “é uma preocupação constante. Trabalhamos diariamente para aumentar a eficiência, traduzindo-se numa ação eficaz, que nos orgulha e nos coloca em patamares muito positivos. Se em 2013 tínhamos 30% de perdas, em 2017 passámos para os 17%.” Afirmou Luís Correia.

Nos primeiros 10 meses deste ano, o autarca e a Administradora dos Serviços Municipalizados, Maria José Batista têm grandes expectativas nesta matéria, e esperam terminar o ano com “ uma redução mais de 50% de há cinco anos a esta parte”.

Durante o colóquio foi apresentado o estudo “Água e Saneamento em Portugal – O Mercado e os Preços 2018”, um estudo que tem sido efetuado com uma periodicidade bienal e que permite manter a lógica analítica idêntica ao longo dos anos, facilitando a comparação da situação atual com a evolução anterior.