Link para página

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

PLATAFORMA TECNOLÓGICA DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO BÁSICO


Com a designação de TICRED (Tecnologias de Informação e da Comunicação - Recursos Educativos Digitais), esta plataforma visa possibilitar aos alunos do Ensino Básico do Concelho de Castelo Branco o acesso, de forma gratuita, a conteúdos de aprendizagem e a instrumentos de regulação da aprendizagem ao nível de várias áreas do currículo escolar básico.

Numa primeira fase, privilegiar-se-ão os anos terminais de ciclo (4º ano, 6º ano e 9º ano), por serem, alguns deles, alvos de avaliação externa por parte do Ministério da Educação, designadamente em Matemática e em Português, mas também  pela relevância que estas áreas têm assumido nas mais variadas propostas educativas no nosso País nos últimos anos.

Para cada área do saber serão propostas lições explicativas dos vários conteúdos disciplinares, bem como fichas de avaliação de aprendizagens e vários objetos educativos digitais complementares, suscetíveis de poderem ser estudados e experimentados na componente de estudo autónomo dos alunos ou servir de recursos importantes para serem utilizados em contexto de sala de aula por parte dos professores.

Cada estudante terá que se registar na plataforma e os pais e/ou encarregados de educação poderão ter acesso a relatórios, gerados automaticamente pela plataforma, sobre a prestação dos seus filhos/educandos ao longo da sua interação com os conteúdos visitados.

Este projeto contempla a importante possibilidade de qualquer docente poder ser, ele mesmo enquanto autor, construtor de novas lições ou de objetos educativos digitais destinados a um determinado tópico de determinada disciplina, visando criar-se uma verdadeira comunidade educativa, por forma a que a plataforma esteja em constante desenvolvimento e enriquecida sistematicamente com novos objetos de aprendizagem.

Regras de Gestão e de Execução

Do ponto de vista da justificação do investimento no projeto, por um período que se espera longo e com justificada intervenção autárquica, destacamos algumas regras de gestão e de execução:

  1.  O projeto é dirigido pelo Presidente da Câmara ou por Vereador por si indicado.
  2.  Cada área do saber (Matemática, Português ou outras) deve ter um Consultor Científico e Pedagógico que garanta a operacionalização efetiva do projeto, nomeadamente ao nível da garantia da qualidade dos recursos educativos digitais produzidos ou a produzir, bem como ao nível de se assegurar que as dúvidas colocadas sobre os mesmos possam ter uma solução efetiva no menor período de tempo.
  3. O projeto terá um Conselho Científico e Pedagógico, constituído pelo Presidente da Câmara ou pelo Vereador por si indicado, pelos Diretores dos Agrupamentos do Concelho de Castelo Branco e pelos Consultores Científicos e Pedagógicos, a quem compete definir a aprovar as áreas disciplinares por ciclos de escolaridade, incentivar a comunidade educativa (alunos, professores e encarregados de educação) para adesão ao projeto.
  4. Cada ciclo de escolaridade (1º Ciclo, 2º Ciclo e 3º Ciclo) deve ter uma equipa de profissionais da educação, responsável pela conceção dos Recursos Educativos Digitais para cada área disciplinar abrangida pelo projeto, seleccionada e contratualizada pela Câmara Municipal de Castelo Branco.
  5. Os Consultores do projeto em cada uma das suas áreas disciplinares, em parceria com o Centro de Formação Contínua de Professores do Altotejo e da Câmara Municipal de Castelo Branco, devem garantir a formação dos professores interessados em aderir ao projeto. Devem, para o efeito, selecionar a equipa de formadores a quem deve ser afetada a formação contínua dos professores sobre a plataforma tecnológica em causa, bem como assegurar os princípios de qualidade e coerência da tipologia de objetos tecnológicos digitais com fins educativos a conceber.
  6. A cada Consultor Científico e Pedagógico compete avaliar a pertinência dos recursos educativos digitais propostos por docentes, além das equipas contratualizadas para a conceção dos objetos digitais. Em síntese, espera-se que o Projeto TICRED revele as suas potencialidades ao nível das aprendizagens escolares dos alunos, de modo a que possa vir a ser uma referência nacional em termos de um esforço explícito de política educativa de uma Autarquia em prol da Comunidade Educativa envolvente.
  • Carta Educativa / Plano Municipal Educação
  • Conselho Municipal Educação
  • Rede Escolar
  • Educação Pré-Escolar
  • 1º CICLO EB
  • Transportes Escolares
  • Programa Fruta Saudável
  • Biblioteca Municipal
  • Cybercentro
  • Serviços Educativos
  • Escola Fixa de Trânsito